Saiba mais sobre como Luiz Carlos Trabuco chegou a presidência do Bradesco

Assim que Luiz Carlos Trabuco se tornou o presidente do Bradesco em 2009, a empresa havia deixado o primeiro lugar nesse segmento para o seu maior adversário, o Itaú Unibanco. Ao contrário do que muitos imaginariam, o executivo não adotou como objetivo número um a retomada da liderança entre os bancos privados, definindo que, ao invés disso, a prioridade do bando era garantir um serviço de qualidade em todas as cidades em que a instituição atua.

Paralelamente, o executivo também adotou certas estratégias audaciosas, como por exemplo, a compra do HSBC no Brasil pelo valor de aproximadamente US$ 5,2 bilhões. Com essa aquisição, a instituição voltou a crescer substancialmente entre os bancos privados, chegando a ultrapassar o Itaú Unibanco em algumas áreas, como no total de fundos de investimentos e o número de correntistas.

No período da compra, Luiz Carlos Trabuco disse à revista Istoé Dinheiro que com a adição das filiais do HSBC, o banco cresceu rapidamente, chegando a um patamar que só alcançaria em seis anos caso seguisse o seu crescimento orgânico. Tal aposta de mercado adotada pelo executivo foi uma das razões que o fizeram vencer a premiação de Empreendedor do Ano em Finanças desenvolvida pela revista Istoé Dinheiro.

Nascido na cidade de Marília, a mesma em que o Bradesco foi criado, Luiz Carlos Trabuco se formou em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP), começando logo depois disso a trabalhar no banco, no ano de 1969. Durante as décadas seguintes, ele foi avançando progressivamente entre os graus de hierarquia da empresa devido a sua grande dedicação e compromisso com a instituição.

Um dos momentos de maior destaque da carreira do executivo ocorreu entre 2003 e 2009, quando ele assumiu o comando do Bradesco Seguros. Com a sua liderança, esse setor do banco se desenvolveu de forma surpreendente, passando a representar cerca de 30% do lucro líquido da instituição.

Já como presidente do banco, nos anos seguintes, Luiz Carlos Trabuco tomou a decisão de investir em uma universidade corporativa, com o intuito de estar sempre renovando os líderes da corporação. Outra estratégia do executivo era demonstrar que valorizava os funcionários do banco, e para isso, ele reunia todos que haviam sido promovidos recentemente no Salão Nobre, o mais imponente da empresa, e o local utilizado para sediar as assembleias com os acionistas. Durante essas reuniões, o presidente cedia a palavra aos funcionários, dando espaço para o compartilhamento de ideias, mensagens e novos posicionamentos.

Além disso, o executivo também se manteve sempre atento ao mercado, de olho em possíveis talentos para serem contratados. Seguindo essa linha, ele conseguiu levar Renato Ejnisman ao banco, que é o atual diretor-executivo da área de BBI, e cujo currículo conta com passagens por empresas como o Bank of America e o BankBoston.

Para administrar uma das maiores instituições bancárias do país, Luiz Carlos Trabuco chegava ao trabalho às 7 horas da manhã, e em diversas ocasiões, precisava se dedicar ao banco até tarde da noite, devido aos jantares de negócios, o que evidencia o seu comprometimento com a empresa.

Relatório da ONU demonstra desigualdade de renda entre homens e mulheres

Um relatório divulgado pela Organização das Nações Unidas – ONU – enfatiza a austeridade fiscal como um dos pontos para existirem a desigualdade de renda entre homens e mulheres.

O relatório realizado pela UNCTAD trouxe também dados que indicam que a recessão econômica de um país está relacionada com diferenças de renda entre os gêneros. O destaque deste relatório ficou por conta da austeridade fiscal, que dá margens as desigualdades econômicas. Esses dados foram divulgados pela UNCTAD – Conferência das Nações Unidas para Comércio e Desenvolvimento.

Segundo o professor de economia da Unicamp – Universidade Estadual de Campinas, Antonio Carlos Macedo e Silva, a crise no cenário econômico do mundo todo já vem de uma década, os impactos referentes a ela irão persistir em anos seguintes.

“A recuperação é fraca. E a tese é que vai continuar fraca e frágil enquanto uma série de obstáculos não for superada. O consenso em torno da chamada austeridade fiscal é um desses obstáculos”, explica o professor que também fez parte do relatório da UNCTAD.

Essa desigualdade de gêneros em termos de renda também impede que a economia se desenvolva como deveria. “A economia global tem crescido a taxas muito inferiores às das décadas anteriores, porque, tanto durante o processo de crescimento quanto na esteira da recessão, na maior parte dos países, a desigualdade só fez aumentar. É um problema que consideramos realmente dramático”, explica o professor.

“Desde que a desaceleração global tem um lado significativo de demanda, políticas que favorecem a redução de custos de mão de obra e gastos públicos vão, na verdade, piorar a situação. Acabar com a austeridade continua a ser um pré-requisito básico para construir caminhos sustentáveis e inclusivos de crescimento”, diz o relatório.

“A proposta da UNCTAD não é a de que está ao alcance de qualquer país, em qualquer momento, implementar uma política fiscal expansionista e sair crescendo. Isso pode não dar certo especialmente quando você está fazendo isso sozinho. Se você faz isso sozinho, você está submetendo o seu país, por exemplo, ao risco de fuga de capitais, de ataques especulativos, de crises cambiais”, ressalta o professor.

Quais itens você deve incluir como despesa para criar um fundo de emergência

Image result for fundo de emergencia

Estabelecer um fundo de poupança para emergência agora pode ser um grande alivio mais tarde. Guardar dinheiro para as economias de emergência pode ajudá-lo a se preparar caso a sua casa ou carro precise de reparos urgentes, bem como em situações mais graves, como doença ou desemprego. Veja tudo que você precisa incluir como despesa para começar seu fundo de emergência.

Seu fundo de emergência deve ser suficiente para cobrir suas principais despesas por seis a nove meses. Se isso parecer assustador, você sempre pode começar por segmentar três meses de despesas e construir a partir daí. Aqui estão algumas despesas importantes a serem consideradas ao determinar quanto economizar:

Despesas de habitação

Seu fundo de emergência deve incluir reservas para despesas de habitação, como aluguel ou financiamento imobiliário, impostos sobre imóveis, seguros e serviços públicos. Proteger o valor e a integridade de sua casa é de extrema importância, por isso é uma boa ideia também incluir reservas para reparos de emergência em casa.

Alimentos

Estime suas despesas mensais com alimentos e inclua esses custos em suas economias do fundo de emergência. Aproveite para economizar dinheiro com alimentos, reduzindo as refeições fora de casa, criando lista de compras para o supermercado e aproveitando as ofertas. Então aplique essas economias ao seu fundo de emergência.

Seguro

O custo mensal do seguro médico e odontológico também devem estar inclusos no fundo de emergência. Lembre-se, se você for demitido, dependendo da empresa, você ainda poderá permanecer no plano de saúde do seu antigo empregador por um período de tempo. Mas se o seguro não cobrir após a demissão, então esse valor já deve estar incluso para futuras emergências.

Reembolso da dívida

Planeje os pagamentos em cartões de crédito e outras dívidas para proteger sua pontuação de crédito ou Score. Tente tomar medidas agora para sair da dívida e evitar o estresse de lidar com essas despesas se você ficar desempregado ou enfrentar um desafio financeiro.

Transporte

Se você tiver um veículo, sua economia de emergência deve cobrir os custos necessários, como o financiamento do seu carro, o seguro automóvel, a manutenção básica, o combustível e as reparações de emergência.

Despesas pessoais

Os custos relacionados com suprimentos domésticos, cortes de cabelo, roupas e artigos de higiene podem parecer geralmente baratos, mas devem ser somados na reserva emergencial.

Novas chuvas e reservatórios cheios não dão motivos para deixar de economizar

Image result for economia de agua

Segundo a Sabesp, a empresa que cuida do abastecimento de água na cidade de São Paulo, dos seis sistemas que abastecem a região, quatro estão com níveis excelentes de armazenamento de água e dois com níveis considerados bons. Um cenário bem diferente de três anos atrás em que a cidade passou por uma crise hídrica. Nos últimos meses muita gente parou de economizar água, mas o tempo seco desse inverno de 2017 acendeu o alerta vermelho.

Desde 2013, um condomínio na cidade de São Paulo passou por várias mudanças para reduzir o consumo de água. Capitação e reúso de água das chuvas para a limpeza das áreas comuns e para ser utilizada nos vasos sanitários dos apartamentos. Esse esforço rende uma economia média de 30% na conta de água. “O investimento na época foi em torno de R$ 4 mil não passando disto. Isso acabou nos trazendo um retorno muito grande, nós tivemos um retorno de tudo que foi aplicado em 4 meses, fora a economia que o condomínio vem fazendo desde então”, diz o síndico do condomínio, Aldo Busuletti.

A economia na conta é o primeiro benefício para quem poupa a água e ela deve refletir diretamente na economia do país, mas esse esforço tem outras consequências bem mais amplas. Mesmo em tempo de reservatórios cheios, o uso deste recurso que é finito, precisa ser racional. Medidas simples como reduzir o tempo de banho, reaproveitar a água da máquina de lavar roupas e nunca, jamais lavar o carro todo fim de semana, calçadas e quintais.

Segundo Inmet, julho de 2017 foi o mês mais seco em nove anos repetindo o índice registrado em 2008. A cidade de São Paulo registrou em julho de 2017, 0 mm de chuva, assim como o registrado em julho de 2008. A média esperada era de 43,6 mm e a previsão para agosto é de 40 mm de chuvas.

“Faz mais de trinta dias que não cai uma chuva significativa sobre o estado de São Paulo. A tendência é que continue seco na maior parte do estado, com exceção das faixas Sul e Leste da capital. Teremos uma boa mudança no tempo com nuvens e com garoas”, diz o meteorologista Inmet, Marcelo Schneider.

“Para o mês de agosto a previsão é que novas frentes frias atinjam todo o estado, a capital paulista deve ter chuvas mais significativas. O ideal é que independentemente da situação hídrica estar bem ou excelente, a economia sempre deverá existir tanto para o retorno financeiro do país, do consumidor, e para a saúde dos nossos reservatórios. Devemos preservá-los constantemente”, reforça Marcelo.