Percepção de mulheres grávidas no 3º trimestre de gestação fica maior

Um novo estudo divulgado pela revista “Scientific Reports” da Nature revelou que mulheres grávidas têm a capacidade de desenvolver um tipo de bolha de proteção quanto estão no terceiro trimestre da gestação. De acordo com as notícias publicadas, o cérebro de uma grávida durante a gestação se adapta a diversas condições do corpo para que estímulos e percepções fiquem mais apurados para detectar todo tipo de perigo próximo a barriga. Com isso, a mulher ganha reações mais rápidas e uma percepção maior dos perigos para o bebê ao seu redor.

Isso tudo é chamado pela ciência de espaço peripessoal e é aplicado a todas as pessoas. O espaço peripessoal funciona como uma zona criada pelo cérebro que protege todo o corpo por uma distância aproximada de um braço. Quando um objeto se aproxima desta região, a primeira reação do corpo é se defender.

Embora esse espaço peripessoal esteja presente na vida de todas as pessoas, os cientistas descobriram que ele é muito mais dinâmico do que eles pensavam. Eles também descobriram que dependendo das condições de perigo o espaço peripessoal pode ficar maior, como é o caso das mulheres grávidas no terceiro trimestre que sentem um impulso maior por proteger o feto. Nestas condições, o cérebro entende que o corpo cresceu de forma repentina e por isso precisa ampliar a bolha de proteção.

O estudo foi realizado com base em testes feitos com mulheres grávidas em dois estágios da gravidez e com mulheres nos primeiros meses após o parto. Os testes contavam com reações a estímulos auditivos e táteis em diferentes distâncias. Para obter os dados, os cientistas separaram as mulheres entre três grupos: o primeiro era constituído de grávidas com seis meses de gestação, o segundo grupo com grávidas com 9 meses de gestação e o terceiro com mulheres no pós-parto.

Todos os dados obtidos neste estudo foram posteriormente comparados com dados de mulheres que não estavam gestantes e nem mesmo tinham passado por um parto recentemente. Embora os cientistas tenham considerado três grupos para o estudo, apenas as grávidas entre 7 e 9 meses de gestação apresentaram alterações no espaço peripessoal.