Moda e beleza: Donata Meirelles destaca quais os pontos de convergência entre os dois segmentos

Não há grande novidade no fato de que os segmentos de moda e beleza caminham cada vez mais em consonância. Seja por meio de anúncios tradicionais ou por meio da divulgação através de influenciadores digitais, os produtos desses dois meios costumam ser comercializado em conjunto. De acordo com Donata Meirelles, que reporta o assunto, existem várias formas de se perceber que esses campos têm convergido nos últimos tempos, ocasionando um efeito de crescimento para as duas áreas, algo que é expresso através de estudos sobre o tema.

Se no passado valia praticamente tudo para que um produto de beleza fosse produzido, nos dias atuais este panorama se mostra bastante modificado. Além dos próprios avanços de ordem tecnológica, existe também a questão da ética, que tem sido tanto valorizada pelas empresas produtoras de cosméticos, quanto cobrada pelos próprios consumidores. Esses aspectos éticos, contudo, tem se mostrado cada vez mais abrangente e funcionam até mesmo como um modo de se diferenciar quais companhias se preocupam com eles ou não.

Assim como pode ser visto em outros segmentos que comercializam variados tipos de produtos, as grandes marcas têm se ocupado de investir em campanhas publicitárias que envolvam influenciadores digitais. Dessa forma, é perfeitamente comum, por exemplo, que uma mesma blogueira faça anúncios publicitários relativos a marcas de roupas que gosta de usar e sobre os cosméticos que usa para que seu visual fique completo. Alguns desses influenciadores deixam claro que algumas postagens possuem caráter comercial, mas ainda assim nota-se que há um esforço para que pareça algo natural.

Donata Meirelles explica que os consumidores de moda e beleza têm primado cada vez mais por ações publicitárias que sejam de fato verdadeiras. Esse anseio pela verdade gera uma onda de influenciadores digitais que se ocupam de veicular experiências reais acerca de produtos ou serviços, aborda a empresária. Alguns desses profissionais têm se especializado, sobretudo, na realização de testes com alguns produtos específicos, como maneira de trazer a público a realidade sobre estes. Com isso, emprega-se uma linguagem acessível ao público que se deseja atingir.

Pelo fato dos ramos de beleza e moda estarem profundamente relacionados na atualidade, observa-se um movimento experimentado nas duas vertentes. De um lado, empresas do segmento fashion têm lançado produtos de cosméticos, como modo de tornarem mais completas suas campanhas. De outro, as próprias companhias do ramo da beleza têm procurado criar peças do vestuário que combinem com os ideais de suas marcas. O intuito é o de se aumentar a lucratividade através da conquista de uma clientela que já conhece alguns produtos e pode querer experimentar os lançamentos de outra natureza.

Mesmo com o avanço avassalador das campanhas publicitárias por meio dos meios digitais, os grandes desfiles ainda são uma forma bastante empregada para apresentar produtos das duas áreas ao público. Conforme ressalta a empresária, isto ainda continua acontecendo em face do glamour que estes eventos costumam possuir. Além disso, até mesmo neste caso a internet não é deixada de lado, já que tais eventos são amplamente divulgados através do ambiente virtual, constituindo uma espécie de ciclo de divulgação, podendo alcançar um grande número de potenciais consumidores.

A crescente relação entre moda e beleza expõe uma realidade que tem sido explorada cada vez mais por empresas em âmbito global, assinala Donata Meirelles. Trata-se da lucratividade de uma área estar condicionada à outra, quando uma dada organização vende os dois tipos de produtos. De forma geral, as companhias têm aproveitado o sucesso que uma marca faz no mercado, seja do ramo fashion ou de beleza, para que novos produtos sejam lançados e bem recebidos pelo mercado. É o que tem sido visto em grifes de alta costura que também procuram vender perfumes e itens de beleza.

Seja em qualquer dos meios, um paralelo pode ser observado nessas empresas: a preocupação com a responsabilidade social. Isso vai muito além de respeitar comunidades locais, ou seja, tal respeito é concebido de maneira muito mais ampla, levando-se em conta todas as fases da cadeia produtiva desses segmentos. Desse modo, alguns comportamentos que no passado poderiam ser corriqueiros, hoje já não o são, uma vez que a própria sociedade remodelou algumas práticas, classificando-as como positivas ou não.

A moda passou a ser produzida de acordo com todos os biótipos existentes e isso é visto tanto em anúncios, quanto nas passarelas, que antes contavam apenas com um tipo restrito de pessoas. O mesmo foi notado no ramo da beleza. Assim sendo, a cada ano que passa as marcas dos dois segmentos lançam produtos cada vez mais específicos, que consigam contemplar características físicas e gostos variados. Além de ser uma forma realista de se lidar com esses segmentos, Donata Meirelles pontua que é também uma forma de se respeitar a diversidade existente.

O marketing, sobretudo o digital, é um dos recursos que tem sido empregados por essas companhias a fim de relacionar a moda com a beleza e aumentar a comercialização de produtos. Vale ressaltar que o público passou a ser observado a partir de suas preferências de consumo, por meio das preferências de navegação na internet, além de vários outros critérios que permitem análises, destaca a empreendedora.

Se a internet é utilizada para divulgação do que é produzido nestas áreas, esta também passou a ser um dos principais canais de venda, aborda a empresária. Essa forma de comercializar produtos pode ser compreendida em razão da grande comodidade fornecida aos consumidores, evitando filas e deslocamentos desnecessários até as lojas físicas.

Noções básicas de marketing direto

O marketing direto é uma forma de publicidade que permite que empresas e organizações se comuniquem diretamente com os clientes por meio de uma variedade de mídias, como chamadas telefônicas, mensagens de texto, e-mails, panfletos, folhetos e anúncios on-line segmentados. Como é uma forma agressiva de marketing, ela pode trabalhar para aumentar a base de clientes, mas precisa ser cuidadosamente planejada e implementada. Para começar com o seu planejamento, aprenda sobre os fundamentos do marketing direto primeiro.

O objetivo – O objetivo primordial de uma campanha de marketing direto é persuadir os consumidores a realizar ações que resultem em resultados tangíveis e mensuráveis, como compras, inscrições ou solicitações de mais informações.

Um fator-chave no sucesso de qualquer campanha de marketing direto é o que os especialistas do setor chamam de “apelo à ação”. Isso significa que as campanhas de marketing direto devem oferecer uma mensagem de incentivo ou estímulo para que os consumidores respondam (ou seja, atuem). Uma campanha de marketing direto bem-sucedida geralmente oferece aos consumidores um benefício, seja dinheiro da próxima compra, um cupom de tempo limitado ou, para uma organização sem fins lucrativos, um convite para um evento ou uma associação com desconto.

Embora o marketing direto envolva uma organização que tenta localizar, contatar, oferecer e disponibilizar informações baseadas em incentivos aos consumidores, ele também precisa obter um retorno sobre o investimento. Se distribuir panfletos para aumentar os negócios em sua pizzaria recém-lançada não resulta em mais clientes, então não vale a pena o tempo dos funcionários.

A coisa boa sobre marketing direto é que existem tantas alternativas que se uma abordagem não funcionar, você pode facilmente mudar para outra. Em vez de panfletos, por exemplo, você pode tentar uma promoção on-line para uma bebida gratuita para clientes novatos.

Criando Campanhas Eficazes – Empresas e organizações podem ser criativas com seus esforços de marketing direto para ajudá-las a se destacar. Por exemplo, para ajudar as peças de mala direta a se destacarem em uma pilha de correspondência típica, as empresas podem enviar panfletos com formas grandes e incomuns, pop-ups ou até mesmo objetos 3D.

Geralmente, as campanhas de marketing direto devem segmentar pessoas que demonstraram interesse ou que provavelmente têm interesse no que sua empresa oferece, em vez de campanhas de marketing de massa usadas para criar reconhecimento geral.