Pop-ups: Como aumentar a eficiência

Segundo as estatísticas, 96% das visitas não terminam com a ação de destino. Os usuários entram, estudam as páginas do site e saem. Os otimizadores podem apenas adivinhar por que aconteceu, se o usuário recebeu o que queria, o que não lhe convinha, por que ele saiu e não o comprou.

Os pop-ups podem mudar fundamentalmente a situação: aumentar a conversão dos negócios online, concluir uma venda, obter o contato do usuário. Nós descobrimos quais pop-ups funcionam, por que são eficazes e fornecemos uma lista de verificação das janelas corretas.

Os usuários simplesmente abandonam os sites. Eles não podem ser parados. Existem várias razões para isso: o usuário não estava interessado na proposta, a página não respondeu à pergunta (baixa relevância), o usuário se distraiu com algo, a página não foi otimizada para um dispositivo móvel, o usuário recebeu o que queria, mas seu objetivo não coincide com o objetivo da página.

Independentemente do motivo pelo qual o visitante sai, a janela pop-up se torna uma ferramenta para reter e devolver o usuário ao site. Mesmo a janela pop-up mais correta não reterá ou retornará o usuário se o site for de baixa qualidade ou não proporcionar economia.

Por que os pop-ups funcionam? Hoje, o usuário tem muitas opções disponíveis, muitas opções para comparação; não importa se é uma experiência online ou offline. As lojas online oferecem filtros para simplificar a pesquisa do produto certo, mas o uso de filtros geralmente deixa o usuário com muitas opções. Quando o cérebro está sobrecarregado com informações e notícias, ele escolhe a solução mais simples e rápida – sair.

Os pop-ups assumem a função de um vendedor educado que oferece ajuda no lugar certo, na hora certa. Eles concentram a atenção do usuário em uma proposta ideal e simplificam a tomada de decisão.

A técnica da repetição – Uma janela pop-up aumenta a frequência da mensagem. Acredita-se que o usuário deva ver a oferta várias vezes antes de executar a ação de destino. O número mágico é 7. Nesse caso, os pop-ups também funcionam a longo prazo. Mesmo que o usuário não execute a ação desejada agora, sua proposta será armazenada na memória. O usuário lembrará exatamente sobre o seu site no momento da necessidade.

Como aumentar efetivamente a conversão?

Todo otimizador deve conhecer os métodos básicos de como aumentar efetivamente a conversão. Nesta revisão, fornecemos métodos básicos, eles são seguros e não prejudicam o site de forma alguma. No entanto, eles exigem testes e análises. Eles não levam à subsidência das posições do site, à saída de tráfego e a um aumento na taxa de falhas.

Simplifique o processo de compra – A interação do usuário com o site deve ser a mais simples e direta possível. O usuário não deve estar se perguntando: é possível comprar mercadorias do site (existem sites em que há dúvidas sobre que tipo de site é: uma loja online ou um site de notícias). O processo de compra deve ser intuitivo e óbvio. E lembre-se, a compra deve ocorrer em um número mínimo de cliques.

Aponte o usuário para cada próxima ação – com a ajuda de dicas, guie o usuário com precisão para concluir a compra. A ação de destino (botão CTA) deve se destacar entre outras opções possíveis para sair da página.

Não ofereça muitas opções ao usuário – caso contrário, você encontrará o paradoxo da escolha: quanto mais opções o usuário receber, maior a probabilidade de o usuário não fazer nada. Uma ampla seleção paralisa as decisões. Se o site oferecer uma grande variedade de produtos, forneça aos usuários filtros de alta qualidade, para que o usuário possa filtrar os produtos mais apropriados para sua finalidade e gerar economia de tempo.

Reduza ao máximo os formulários de autorização e pedido – quanto menos campos no formulário, maior a probabilidade de o usuário preenchê-lo. Implementar a possibilidade de autorização através de redes sociais populares. Não peça informações que você definitivamente não precisa solicitar: educação, status social, nível de renda, número de telefone residencial / comercial, e-mail corporativo.

Perceba a possibilidade de comprar sem registro nos negócios online: compre sem registro, indicando apenas o número de telefone / e-mail e nome, ou registre-se e torne-se um cliente regular (é importante especificar exatamente quais benefícios o registro oferece). Por exemplo: compre sem desconto ou cadastre-se e economize X%.

Descrições corretas do produto – A descrição do produto deve responder às perguntas básicas do usuário e fornecer a ele motivadores suficientes para tomar uma decisão. A página do produto, além da descrição, deve conter uma revisão em vídeo, imagens de diferentes ângulos e análises de usuários. Conteúdo adicional compensará a falta de informações na descrição do produto.

Principais dicas para melhorar a navegação, o envolvimento e os fatores comportamentais

Um artigo, uma descrição de um produto ou serviço pode não ser suficiente para tomar uma decisão. Nesse caso, o conteúdo adicional do blog, canal do YouTube, funciona bem. Depois de estudar a página, muitas perguntas permanecem na cabeça do usuário, cujas respostas não podem ser levadas em conta no mesmo texto.

Que informações adicionais o usuário precisa para tomar uma decisão? Publique links para materiais temáticos úteis, revisões, materiais que levam você ao próximo passo. Assim, você melhora a experiência do usuário (o visitante encontra respostas para todas as questões de interesse relacionadas) e os fatores comportamentais (profundidade da visualização, tempo no site, falha, cliques e interações com a página).

Escolha links temáticos relevantes – Na maioria das vezes, os usuários saem porque as páginas propostas são irrelevantes. Os tópicos dos artigos são próximos, mas de forma alguma correspondem à questão principal e à sua solução. Usuários online acessam sites para obter respostas específicas e selecionam apenas conteúdo altamente relevante. Os usuários apreciam sites que oferecem coleções temáticas de materiais com base nas opiniões e interesses dos usuários.

É impossível selecionar artigos temáticos que sejam 100% relevantes para os interesses “atuais” do visitante. Mas com base na página que o usuário está visualizando, você pode compilar um mapa dos interesses do seu usuário e selecionar links para as páginas do site que complementam tematicamente o artigo, fornecem uma solução diferente para o problema e sugerem opções.

Design correto do link – A cegueira das faixas é um fenômeno comprovado. O usuário inconscientemente pula os blocos coloridos de conteúdo e notícias, porque, como regra, este é um anúncio que não tem nada a ver com a essência da visita. Usuários online desenvolveram imunidade a mensagens publicitárias inúteis tremulando aqui e ali.

Tradicionalmente, o lado direito da tela é reservado para blocos de anúncios e informações menos relevantes. O usuário lê a página da direita para a esquerda. Portanto, informações mais importantes são postadas à esquerda e informações menos importantes à direita. Para atrair de alguma forma a atenção do usuário para o bloco certo, é usado um design brilhante e atraente. Quanto mais o bloco temático for semelhante à publicidade, menor a probabilidade de o usuário clicar nele, e favorecer a economia dos negócios.

Recomendações para otimizar a cesta no site

Como evitar recusas de uma compra depois que um usuário adicionou um item ao carrinho? Oferecemos as principais recomendações para otimizar sua cesta e fazer seu pedido.

Imagens do produto – Como regra, depois de adicionar um item à cesta, o ícone da própria cesta muda. Um indicador do número de itens adicionados aparece na cesta. Os especialistas em otimização de UX recomendam mostrar ao usuário quais produtos estão na cesta.

Para aprimorar o efeito dos negócios, é recomendável adicionar uma animação de imagens ou o botão “fazer pedido”. O fato é que uma pessoa reage instintivamente ao movimento. A animação atrairá a atenção e não permitirá que o usuário esqueça por que ele veio ao site. A imagem do produto deve corresponder claramente ao que o usuário adicionou à cesta. Isso facilita a visualização e a edição do conteúdo da cesta.

A qualidade das imagens na página do produto – O cartão do produto deve ter uma imagem de alta qualidade, isso não é discutido. Quanto menor a qualidade da imagem, maiores as dúvidas do usuário. Uma imagem de alta qualidade mostra ao usuário exatamente o que ele está comprando. Imagens de baixa qualidade implicam um risco adicional – retorno frequente de mercadorias devido à sua inconsistência com a imagem no site e às expectativas do usuário.

Recomenda-se também o uso da visualização 3D, para que o usuário possa visualizar o produto de todos os ângulos. Se não for possível implementar animação 3D, adicione algumas imagens mostrando o produto de todos os lados.

Resumo do pedido e notícias – O usuário deve ver claramente quantos produtos foram adicionados à cesta, em qual quantidade, por qual quantidade, bem como o valor total do pedido antes de prosseguir para fazer o pedido. Já é importante, nesta fase, indicar o custo da entrega na região, alertar o usuário sobre o valor mínimo do pedido (se houver um instalado no site).

Também é importante aplicar imediatamente todos os descontos e promoções, se a condição for atendida. 59% dos usuários dizem que estão procurando informações resumidas sobre um pedido antes de fazer o pedido, isso gera economia de tempo e dinheiro do comprador. O valor total que não atende às expectativas do usuário, a ausência dos produtos prometidos na lista se tornam um motivo frequente de rejeição de produtos na cesta.

Como otimizar a densidade de informações

Densidade da informação – parte das informações oferecidas ao usuário imediatamente após a transição para o site. Quanto mais conteúdo o usuário vê em uma página, maior a densidade da informação e notícias. Uma enorme quantidade de dados aumenta instantaneamente a carga cognitiva para níveis críticos, e isso, por sua vez, afeta a navegação, a usabilidade e o UX, a capacidade de tomar decisões rapidamente.

Ao desenvolver um design ou otimização, é importante entender a quantidade de informações ideal na página. Quanto mais informações forem oferecidas ao usuário, mais tempo ele precisará para executar as tarefas mais simples: encontrar as seções e páginas necessárias, assinar, produto, formulário de feedback, etc. Sem mencionar a conversão ou compra.

Ao desenvolver um site, sempre existe a tentação de mostrar ao usuário o máximo para atrair mais visitantes e enfatizar a autoridade e a competência do site. No entanto, geralmente isso é um truque para os usuários.

Por que a alta densidade de informações é ruim? Uma grande quantidade de informações causa sobrecarga de informação ou paralisia analítica, principalmente nos negócios online. O usuário está perdido em um grande fluxo de informações e não sabe qual ação executar em seguida. O design de alta qualidade garante a transparência das soluções para o visitante. O usuário sabe a cada momento que ação é a próxima ou o que precisa ser feito para alcançar um objetivo específico.

Alta densidade de informações no site afeta negativamente a percepção das informações – A alta densidade de informações oferece muitas opções para os usuários. Uma grande seleção afeta negativamente o usuário, aumenta o nível de ansiedade e dúvida a tal ponto que, na mente do consumidor, recusar-se a comprar se torna a solução ideal.

Como otimizar a densidade de informações? Ao projetar, é importante aderir a um princípio chave: Menos é melhor! Você priorizar a economia de tempo e dinheiro. Para equilibrar a quantidade de informações na página, basta responder à pergunta: qual é o objetivo da página? Que ação o usuário deve executar após examinar esta página?

É claro que, em um mundo online ideal, onde não há dúvida na cabeça dos usuários, concorrência em um nicho, não é necessário considerar algoritmos de busca, cada página poderia ser projetada de acordo com o primeiro cenário.

Felipe Miranda, fundador da Empiricus, fala sobre a atuação da empresa no mercado

Possivelmente você já ouviu falar da Empiricus, foi recomendado a assinar sua newsletter. Felipe Miranda, fundador da empresa foi entrevistado pelo canal Econoweek e falou um pouco sobre o modelo de negócio da empresa, o marketing agressivo, entre outros pontos que você vai saber nas próximas linhas. Boa leitura.

De acordo com Felipe Miranda, a Empiricus é uma publicadora de conteúdo, no caso, voltado para pessoas que querem investir e não atua como uma corretora.“A gente não pega dinheiro de ninguém. É diferente da corretora, você paga pela ideia e não por um produto”, ressalta.

É um modelo que funciona em vários países, inclusive nos Estados unidos. Por meio de seus relatórios enviados por e-mail, ela dá sugestões dos melhores investimentos. Nesse modelo de negócio, o investidor não deposita seu dinheiro na empresa e sim nos investimentos sugeridos.

A proposta de valor da empresa, é que seus assinantes possam obter ganhos com as informações. Por conta da escala que Empiricus chegou e sua importância no mercado, hoje ela conta com 33 especialistas em finanças que pesquisam e analisa o mercado constantemente, e assim formam a maior equipe de finanças do país. São profissionais com vocação para o assunto, que estão constantes formação.

Com essa equipe extremamente qualificada, a Empiricus consegue passar informações interessantes para as pessoas físicas que querem investir na bolsa, por exemplo. “Entendemos que estamos no mercado editorial e não em valores mobiliários”, ressalta Miranda. Assim, a empresa pode atuar de forma mais livre.

O marketing agressivo

O marketing foi o ponto crucial para conseguir essa escala que a empresa se encontra. Sem ele, uma empresa não consegue se manter no mercado, principalmente se for um negócio disruptivo como é o caso da Empiricus. Quando ela passou a ter mais clientes, conseguiu aumentar a equipe e a qualidade das publicações.

“A gente precisa impactar muita gente”. Essa é justificativa de Miranda para as campanhas publicitárias, em que é possível multiplicar o patrimônio se seguir as estratégias difundidas pela companhia. Para ele, o modelo visa impactar o público para aumentar sua cartela de clientes, assim consegue manter a estrutura da empresa, fornecer insights de oportunidades e ajudar as pessoas.

De acordo com Miranda, em seus 10 anos de mercado, a empresa acumulou mais de 340 mil assinantes e que ⅓ dos investidores da Bolsa são compostos de assinantes da dos boletins da empresa. Ele ressalta que eles recebem mensagens claras e com responsabilidade, um dos segredos do sucesso.

POKÉMON SUN AND MOON: FIM DE UMA SAGA E INÍCIO DE OUTRA

As notícias a seguir são para os fãs de Pokémon, especificamente o anime, que é transmitido no Brasil através do canal pago Cartoon Network. Porém, na TV japonesa, onde é transmitido semanalmente nas manhãs de domingo, o anime se encontra próximo do fim da saga de Ash Ketchum na região de Alola.

Atualmente, a série está na fase semifinal da Liga Pokémon de Alola, tendo um dos finalistas já definido, no caso Gladion, que venceu Kiawe. A outra semifinal, entre Ash e Guzma, líder da Team Skull, ainda está em andamento, tudo apontando para que seja encerrada neste fim de semana, onde se definirá o duelo final da liga.

Muitos fãs acreditam que, após a liga, a saga de Ash em Alola se encerre, pois não restam eventos para que os roteiristas mantenham o protagonista nesta região, visto que todos os eventos ocorridos nos jogos já ocorreram no anime, estando pendente apenas a Liga Pokémon.

Outro fato que reforça o dito acima é o fato de, neste fim de semana, após o episódio a ser transmitido, será revelada uma notícia muito importante, não sabendo ainda do que se trata. Muitos especulam se tratar a respeito da nova saga do anime, a ser desenrolada na região de Galar, região dos mais novos jogos da franquia (Pokémon Sword e Shield).

O que traz esta possibilidade é o fato dos novos jogos serem lançados em novembro deste ano, data em que provavelmente o anime entrará em sua nova fase, já que restam poucos episódios até o final da Liga Pokémon de Alola e, acredita-se, da própria saga em Alola, ainda mais se considerarmos que os episódios são transmitidos semanalmente na TV japonesa.

Enfim, como as notícias se tratam apenas de especulações, só resta aos fãs aguardarem a revelação para saber as novidades que irão surgir. Mas verdade é que a estréia da nova saga do anime Pokémon se mostra cada vez mais próxima de ocorrer.

China se destaca no mercado de smartphones

A China hoje é um dos maiores concorrentes no mercado de smartphones do mundo. Com os bons preços e uma escala de produção ampla, empresas como a marca Huawei, estão querendo expandir o seu alcance porque a China está ficando pequena para o seu potencial de vendas, por isso, quem quiser se tornar competitivo no futuro terá que entender o mandarim.

A Apple, mundialmente conhecida pelos seus smartphones, perdeu espaço no mercado gigante da China, tanto na produção quantos nas vendas. Com 35% dos dispositivos vendidos no mundo, o país é o maior no mercado, e tem preços que chegam a ser 50% menores que os iPhones.

A  Huawei  é a segunda maior fabricante de smartphones do mundo. Em sua fábrica na China a maioria da fabricação de seus smartphones é realizada por máquinas ou robôs, poucos são os funcionários para essa tarefa. Na cidade chinesa de Dongguan, a fábrica da marca está localizada e tem um controle rigoroso de inspeção de funcionários, uma passa por uma revista em detector de metais para que celulares e câmeras não entrem com os funcionários. A medida é tomada para evitar que informações de novidades que não foram a público sejam divulgadas indevidamente.

Na fábrica, os funcionários têm uma hora e meia para almoço e dez minutos de pausa a cada duas horas. O serviço é repetitivo e preciso, por dia são produzidos nada mais que 2400 smartphones.

A cidade de Dongguan está perto da sede da empresa em Shenzhen, no sul da China, região conhecida por ser o vale do silício do país. Com a amplitude da fábrica, no ano de 2018 foi possível vender 206 milhões de aparelhos, um aumento de mais de 33% em comparação ao ano de 2017, de acordo com a consultoria IDC.

Foram investidos US$ 1,5 bilhão de dólares para a fábrica de Dongguan, que tem em sua arquitetura réplicas do estilo europeu de edifícios. 15 mil funcionários entre cientistas e engenheiros estão nessa fábrica, que futuramente receberá 10 mil funcionários. A gigante Huawei tem boas notícias pois continua crescendo, neste ano foram comercializados 118 milhões de smartphones, um crescimento de 24% em relação ao ano passado.

Percepção de mulheres grávidas no 3º trimestre de gestação fica maior

Um novo estudo divulgado pela revista “Scientific Reports” da Nature revelou que mulheres grávidas têm a capacidade de desenvolver um tipo de bolha de proteção quanto estão no terceiro trimestre da gestação. De acordo com as notícias publicadas, o cérebro de uma grávida durante a gestação se adapta a diversas condições do corpo para que estímulos e percepções fiquem mais apurados para detectar todo tipo de perigo próximo a barriga. Com isso, a mulher ganha reações mais rápidas e uma percepção maior dos perigos para o bebê ao seu redor.

Isso tudo é chamado pela ciência de espaço peripessoal e é aplicado a todas as pessoas. O espaço peripessoal funciona como uma zona criada pelo cérebro que protege todo o corpo por uma distância aproximada de um braço. Quando um objeto se aproxima desta região, a primeira reação do corpo é se defender.

Embora esse espaço peripessoal esteja presente na vida de todas as pessoas, os cientistas descobriram que ele é muito mais dinâmico do que eles pensavam. Eles também descobriram que dependendo das condições de perigo o espaço peripessoal pode ficar maior, como é o caso das mulheres grávidas no terceiro trimestre que sentem um impulso maior por proteger o feto. Nestas condições, o cérebro entende que o corpo cresceu de forma repentina e por isso precisa ampliar a bolha de proteção.

O estudo foi realizado com base em testes feitos com mulheres grávidas em dois estágios da gravidez e com mulheres nos primeiros meses após o parto. Os testes contavam com reações a estímulos auditivos e táteis em diferentes distâncias. Para obter os dados, os cientistas separaram as mulheres entre três grupos: o primeiro era constituído de grávidas com seis meses de gestação, o segundo grupo com grávidas com 9 meses de gestação e o terceiro com mulheres no pós-parto.

Todos os dados obtidos neste estudo foram posteriormente comparados com dados de mulheres que não estavam gestantes e nem mesmo tinham passado por um parto recentemente. Embora os cientistas tenham considerado três grupos para o estudo, apenas as grávidas entre 7 e 9 meses de gestação apresentaram alterações no espaço peripessoal.

Mudanças de hábito contribuem para dormir e acordar mais cedo

Cientistas do Reino Unido e da Austrália concluíram através de um estudo que mudanças simples podem contribuir significativamente para ajustar o relógio biológicodas pessoas. Para o estudo, os cientistas se concentraram nos indivíduos que quase sempre dormem tarde da noite. Utilizando técnicas simples como tomar sol pela manhã, reduzir a ingestão de cafeína e ter horários regulares para dormir, os participantes conseguiram acordar cedo com maior disposição.

De acordo com as notícias divulgadas pelos cientistas, a abordagem bastante óbvia tem grande impacto no sono das pessoas, além de contribuir para outros aspectos da vida dos indivíduos. É fato que todos os seres vivos possuem um relógio biológico, inclusive os seres humanos. Em todos os casos, o relógio funciona de acordo com a variação de luz, através do nascer e pôr do sol de cada dia. É por isso que os seres humanos dormem à noite.

No entanto, como cada indivíduo é único, há pessoas que apresentam um certo atraso no relógio biológico, o que as impedem de ir dormir mais cedo. Assim como há pessoas que são consideradas “diurnas” por causa da grande disposição de acordar cedo.

O maior problema em todos os casos é que as pessoas precisam se adaptar ao horário comercial, que é comum para a maioria dos países das 9 às 17 horas. Nesse quesito, as pessoas que dormem mais tarde sofrem muito mais para se ajustar a essa rotina, pois elas têm que acordar cedo antes mesmo que o corpo esteja totalmente descansado.

É por isso que pesquisas têm mostrado cada vez mais resultados apontando que dormir pouco contribui para a morte prematura de diversas pessoas no mundo. Além disso, o desenvolvimento de diversas doenças já está sendo associado a uma rotina de sono curta.

Para o estudo, os pesquisadores listaram diversas regras para os participantes que tinham maior dificuldade de dormir cedo, sendo algumas delas: tomar sol pela manhã, acordar 2 horas mais cedo, praticar exercício físico de manhã, fazer todas as refeições nos mesmos horários e não comer mais nada após às 19 horas. Além dessas recomendações, os cientistas diminuíram a ingestão de cafeína dos participantes e os incentivaram a reduzir a iluminação no período noturno.

De acordo com os dados divulgados pelos cientistas, essas simples mudanças fizeram os participantes dormirem e acordarem mais cedo, além de ajustar o relógio biológico para uma série de funções corporais.