Ferrogrão trará mais competitividade aos produtos brasileiros – por Felipe Montoro Jens

Já foram publicados os primeiros documentos com as regras do leilão que irá conceder o direito de construção e exploração da EF – 170, popularmente chamada de Ferrovia do Grão e Ferrogrão. Quem traz mais detalhes é Felipe Montoro Jens. Acompanhe!

A concessionária será responsável pela implementação da infraestrutura necessária, bem como a operação dos trens. Trata-se do modelo de de Programa de Parceria de Investimentos, reporta o especialista em projetos de infraestrutura.

A EF – 170, especificamente, terá um padrão vertical de exploração. A empresa vencedora terá que construir uma ferrovia de 1.142 km de extensão, que partirá de Sinop (município de Mato Grosso) até Miritituba, no Pará. Em troca poderá oferecer o serviço de transporte ferroviário pelo prazo de 65 anos. Será a vencedora aquela que oferecer maior outorga ao governo, cujo valor inicial do lance está previsto para R$ 0,01.

Felipe Montoro Jens reporta que somente a companhia vencedora terá a licença para a gestão da infraestrutura e exploração do serviço logístico. O intuito é criar um novo corredor ferroviário, capaz de dar apoio a exportação do país pelo Arco Norte.

Apesar do valor baixo para a concessão, a empresa deve mostrar aptidão para realizar as obras, cujo investimento está orçado em R$ 12,6 bilhões. Entre as atribuições da empresa estão:

construção da base ferroviária;

infraestrutura;

terraplanagem;

obras complementares;

superestrutura ferroviária;

sistemas de sinalização ferroviária e energia;

equipamentos ferroviários;

oficinas e instalações;

canteiro de obras;

aquisição de trens material rodante;

compensação socioambiental e desapropriação.

A remuneração virá da prestação do serviço de transporte ferroviário. Os riscos de demanda são inteiramente da concessionária, contudo espera-se que o ferrovia traga lucros. Felipe Montoro Jens reporta as estimativas setoriais, que mostram uma demanda alocada de 25 milhões de toneladas quando a Ferrogrão estiver em atividade. Para 2050 essa demanda deve superar as 42 milhões de toneladas de carga alocada.

Só do Mato Grosso, levantamentos setoriais conduzidos por empresários preveem escoar até 20 milhões de toneladas de grãos pelos portos da Bacia Amazônica. Do estado partirão a produção de milho, soja, farelo de soja, óleo de soja, fertilizantes, álcool, açúcar e derivados de petróleo para os portos da região Norte, reporta Felipe Montoro Jens.

Após inaugurada, a ferrovia cumprirá um papel fundamental na estrutura viária do Arco Norte do país, dando suporte a rodovia BR-163. De acordo com o projeto, a rodovia terá suas condições de tráfego atenuadas, uma vez que parte dos caminhões terão seu tráfego reduzido. O que representa uma economia para conservação e manutenção de uma infraestrutura. Além disso, os produtores terão mais de uma opção para escoar sua safra.

Esse corredor formado pela ferrovia EF – 170 e a rodovia BR – 163 vai criar um novo caminho para a exportação de grãos e outros produtos no país, aumentando a capacidade de transporte e a competitividade. Hoje, cerca de 70% do que é produzido no Mato-Grosso é enviado para os portos de Santos (SP) e Paranaguá (PR), uma distância superior a 2 mil quilômetros desde sua origem, reportou Felipe Montoro Jens.

Bailes de Gala da BrazilFoundation recebem as divas da moda Donata Meirelles e Cris Lotaif

As divas internacionalmente no mundo da moda Donata Meirelles e Cris Lotaif estão sempre presentes nos eventos de gala promovidos pela BrazilFoundation para angariar fundos para suas obras assistenciais. A ong não tem fins lucrativos e atua no fomento e apoio de ações socioculturais em todo o país.

A quarta edição comemorou o lançamento da campanha da Abrace Brasil e homenageou Claudio Haddad, do instituto INSPER e Eduardo Lyra, fundador do Instituto Gerando Falcões. A noite de gala foi realizada na Casa Fasano em São Paulo, tendo como co-host a Chanel.

Muitas personalidades marcaram presença e contribuíram com o leilão. Entre eles Nizan Guanaes, Cesar Gouveia, Edemir Pinto, Flavia Alessandra, Marcelo Ruschel, Daniela Falcão, Fernanda Vidigal, Fernando Meligeni, Fernanda Motta e etc.

A festa foi marcada por apresentações musicais e de projetos apoiados pela ong, além do leilão com itens exclusivos. Ingrid Guimarães e Bruno Astuto conduziram o leilão, Preta Gil cantou para os convidados e também se apresentaram a DJ Marina Diniz e os MCs Flávio Canto e Sophie Charlotte.

O leilão gerou cerca de R$ 1 milhão para os projetos apoiados pela BrazilFoundation.

Os homenageados

Claudio Haddad fundou e preside o conselho do INSPER, um instituto de cunho educacional e de pesquisa que atua no fomento de pesquisa sem fins lucrativos. O instituto ganhou notoriedade em 2004 quando desenvolveu um grande programa para conceder bolsas de estudo para jovens. O projeto tem grande impacto positivo na vida dos participantes e do meio em que vivem.

Haddad se destacou em diferentes frentes. É membro ativo do conselho da Ideal Invest, da Ensina Brasil e do Hospital Albert Einstein. Formou-se doutor pela Universidade de Chicago.

Eduardo Lyra foi inspirado pela mãe para se tornar um profissional formado e hoje é empreendedor social, jornalista e escritor. Eduardo está entre os 15 jovens brasileiros que podem mudar o mundo de acordo com o Fórum Econômico Mundial na lista da Forbes como um dos 30 jovens mais influentes do país.

Fundou o Instituto Gerando Falcões em 2011, uma entidade sem fins lucrativos que oferece oportunidades para jovens em situação de risco como áreas periféricas e prisões. Seu foco é propor treinamento profissional, mais esporte, cultura e formas desses jovens gerarem renda.

Última edição

A última edição foi em 2018 e contou com a presença Donata Meirelles, Claudia Lotaif, Ana Botafogo, Carlos Jereissati Filho, Alexandre Birman, Flavia Kujawski, José Ermírio de Moraes, Elen Capri, Costanza Pascolato, Glória Maria, entre outros.

A decoração foi assinada por Chris Ayrosa, com destaque para os lustres de diferentes tamanhos e formatos. Eles iluminaram o salão com 35 mesas e um palco no centro em que os leiloeiros Jonathan Azevedo e Fernanda Gentil anunciaram os itens exclusivos do leilão beneficente.

Entre os valores arrecadados com o leilão e os convites no valor de R$ 3 mil, foram arrecadados cerca de R$ 800 mil. Esse montante, assim como tudo o que a ong arrecada foi destinados aos seus projetos sociais. Alguns deles foram apresentados durante o evento e arrancou aplausos dos presentes.

Toda a festa foi realizada sem ônus à fundação, do contrário não seria viável. Bebidas, decoração e móveis foram feitos pro bono pelos apoiadores e os demais custos foram bancados pela co-host Chanel.

Durante o evento foram homenageados os filantropos José Olympio Pereira e Anna Schvartzmann que emocionaram falando sobre como é possível uma pessoa impactar o mundo. Anna foi parabenizada duplamente, uma pelo aniversário de 78 anos e por ter fundado a BrazilFoundation.

Donata Meirelles

A diva social é uma das personalidades ligadas a moda de luxo mais atuantes. Ela criou renome ainda na década de 90 quando trabalhava na Daslu, importante boutique de luxo brasileira. Foram 23 anos dedicados à loja, em que começou sua carreira como vendedora, passou a ser diretora e compradora internacional.

Nesse período de diretora, Donata coordenou mais de 400 funcionários da empresa e foi como um braço direito para Eliana Tranchesi, proprietária da Daslu. Juntas viajam para diferentes lugares do mundo para comparecer aos principais desfiles e semanas de moda. Donata chegou a fazer mais de oito viagens internacionais por ano a trabalho.

A filha, Helena Bordon sempre a acompanhava. Segundo ela, toda essa vivência no mundo da moda e a convivência com a mãe foram determinantes para que ela seguisse os mesmos passos. Hoje, Helena junto com Lu e Marcella Tranchesi tem sua marca de roupas e acessórios chamada 284.

Atualmente Donata trabalha como diretora de estilo da versão nacional da Vogue. São mais de seis anos atuando na revista, dos quais ela atribui o bom desempenho a experiência que obteve no mundo da moda. Apesar de não ter se formado em jornalismo, ela acredita que se saiu bem.

Na Vogue, buscou focar nos eventos promovidos pela marca. Para isso, ela e outros profissionais viajam o país em uma plataforma desenvolvida para promoverem palestras e outras ações.

Donata Meirelles – 30 anos no mundo da moda e intenso envolvimento em ações sociais

Reconhecida nacional e internacionalmente graças ao seu desempenho profissional e seu ativismo social, Donata Meirelles coleciona homenagens e premiações por seu trabalho no universo fashion e seu envolvimento com ações filantrópicas.

O know-how adquirido nos mais de 30 anos de atuação com tendências e estilo resultou no reconhecimento de sua trajetória de sucesso através de algumas de suas marcantes conquistas como o Troféu iG Moda de Fashionista, recebido em 2011; a classificação no ranking das 40 mulheres mais poderosas do país, elaborado pela Forbes; e a participação no ranking dos 5 melhores compradores internacionais do mundo, segundo a classificação feita pela revista francesa de moda, L’officiel.

O início da carreira de Donata no segmento da moda ocorreu enquanto cursava faculdade de economia. A brasileira, nascida em 7 de janeiro de 1969, ainda como cliente, foi convidada para trabalhar como vendedora na luxuosa butique Daslu. Anos após trancar o curso e se dedicar totalmente ao mercado fashion, Donata passou de vendedora para diretora e “braço direito” na administração do sofisticado magazine, onde ficou por mais de 20 anos.

Diante de sua expertise nos assuntos voltados para moda, em 2011, a fashionista foi convidada por Daniela Falcão, diretora-geral da Globo Condé Nast, para assumir o cargo de diretora de Estilo na revista Vogue Brasil. Na opinião de Donata, sua missão era oferecer para a revista seu ponto de vista como leitora e trabalhar para contribuir com novos conceitos e abordagens para alcançar bons resultados e sucesso da marca. Na TV Vogue, também atuou como apresentadora do programa “Quero Já”. Meirelles permaneceu na revista até os primeiros meses de 2019.

Na área do ativismo social, Donata Meirelles foi homenageada por sua efetiva colaboração com as organizações Brazil Foundation e amfAR. Além dessa e de outras homenagens ao longo de sua jornada, diante de seu comprometimento ao atuar em prol das pessoas infectadas pela AIDS/HIV, a paulistana também recebeu o prêmio Humanitarian, entregue pela amfAR, em 2014.

Donata, sempre que possível, participa de ações e eventos beneficentes em favor de diferentes causas sociais. As principais organizações apoiadas pela paulistana são: Women in the World Foundation, amfAR e Brazil Foundation.

Women in the World é o nome da fundação criada, em 2011, pela própria Donata Meirelles que vem exercendo a função de embaixadora da ONG até os dias de hoje. O propósito da fundação é agir em prol da proteção dos direitos das mulheres, como encorajar a proteção contra o feminicídio e estimular a equidade de gêneros. Com o crescimento da Women in the World, outras organizações não governamentais passaram a ser apoiadas pela instituição como a Brazil Foundation, Gerando Falcões e a amfAR. Além destas, as organizações Women of Impact Awards, Solutions Database e Women on the World no Campus também recebem apoio da instituição fundada por Meirelles.

A amfAR – The Foundation for AIDS Research – é uma organização não governamental e sem fins lucrativos que promove a angariação de fundos direcionados para a realização de pesquisas sobre a AIDS/HIV.

A razão de sua existência é assegurar: o aumento no valor destinado aos financiamentos das pesquisas, a defesa dos “direitos civis” dos portadores da AIDS/HIV, o fornecimento de suporte a políticas públicas e a viabilização ao acesso a medidas educativas de prevenção e tratamento da doença.

A soma arrecadada para os programas de pesquisas da amfAR, de 1985, quando foi criada, até os dias atuais é superior a US$517 milhões. A instituição também já contemplou mais de 3300 equipes de todo o mundo com bolsas para a realização de pesquisas.

Na mais recente edição do baile da amfAR em Cannes, na França, a quantia angariada ultrapassou US$15 milhões. Ao todo, desde seu primeiro evento realizado em 1993, foram arrecadados mais de US$235 milhões para a organização. Em 2018, o amfAR Gala São Paulo alcançou o valor aproximado de US$1 milhão para as pesquisas de combate a AIDS.

A Brazil Foundation foi criada, no ano 2000, por amigos que compartilhavam da mesma visão do desejo de ajudar a amenizar alguns problemas sociais existentes no país. A ideia era desenvolver uma rede formada por líderes sociais e iniciativas que viessem a contribuir com as propostas da entidade.

Os mais de US$40 milhões angariados pela ONG desde sua criação foram distribuídos para mais de 500 projetos de quase 200 instituições localizadas por todo o país. Ao todo, em 2018, a arrecadação brasileira fechou em R$10 milhões. Somente em um Baile de Gala realizado na capital paulista, a Brazil Foundation conseguiu arrecadar, entre o leilão e as vendas de convites, aproximadamente R$800 mil. Já em 2017, o evento alcançou a soma de R$1 milhão.

Donata Meirelles segue fazendo parte do grupo de assíduos apoiadores de causas sociais que promovem o estímulo a oportunidades, a igualdade e os direitos básicos dos seres humanos.

Donata Meirelles informa sobre empreendedores que têm visto o cosplay como negócio

O cosplay, prática bastante difundida entre o público jovem, consiste no ato de se fantasiar de personagens variados, tais como aqueles vistos em filmes famosos, games e até em mangás. Segundo explica Donata Meirelles, empreendedora do meio fashion, a prática em questão não se limita ao emprego das fantasias. Os praticantes são também conhecidos em virtude da dramatização que empregam, de modo que passam a agir como se estivessem dentro de uma dessas histórias. Quem comemora são os empresários que se encarregam de produzir, alugar ou comercializar os itens que são utilizados pelos adeptos do cosplay, salienta a empresária.

Os próprios cosplayers também se veem em uma fase positiva no país, uma vez que podem trabalhar como participadores de eventos e outras ocasiões do tipo. Quem fica encarregado de produzir os praticantes de cosplay recebem o nome de “cosmakers”, já que possibilitam com que estes profissionais recebam a devida caracterização para o que propõem. Outros profissionais conseguem lucratividade com base na apresentação desse tipo de prática. São eles: fotógrafos, agências de eventos e organizadores de vários tipos.

Conforme uma reportagem para o portal Pequenas Empresas & Grandes Negócios, que abordava a realização do Brasil Game Show, um dos eventos de maior divulgação do cosplay na América Latina, ficou claro que anualmente cresce o interesse das pessoas por este tipo de atividade. Ao ser entrevistado, Renan Barreto, que responde pela direção geral do evento, alegou que a cadeia formada por profissionais dessa área está em franco desenvolvimento em terras brasileiras.

Mesmo tratando de outros temas, como aqueles inerentes aos games, a temática do cosplay é uma das que mais aguçam o interesse do público. Ainda em sua primeira edição, no ano de 2016, a feira realizou um concurso envolvendo o tema em questão. Na segunda edição, a organização do evento observou que houve expressivo crescimento dos inscritos. Com a expectativa de que o público aumentasse ainda mais a cada ano, houve também a necessidade de se adotar espaços maiores para a feira, de maneira que o local escolhido em 2018 foi de 500 metros quadrados, representando quase o dobro do ambiente adotado no ano anterior.

Para Rafael Bizzi Moraes, proprietário de uma agência de marketing, as apresentações de cosplayers não se limitam aos eventos de natureza geek, como era comum de se ver no passado. O empreendedor destaca que esses profissionais têm atuado em eventos de vários segmentos, como por exemplo aqueles de moda ou de divulgação de utilidades domésticas. A empresa de Bizzi, conforme ele mesmo ressaltou, volta todas as suas atividades para o universo do cosplay, tamanha a visibilidade que este tipo de prática tem alcançado ultimamente.

Batizada de “Joystick”, o empreendimento de Bizzi é um dos negócios que ilustram a nova face do mercado de cosplay no país, ressalta Donata Meirelles. Assim como esta empresa, a empresária salienta que outras têm empregado parte ou todos os seus recursos a fim de se beneficiarem com o que esse nicho em ascensão pode proporcionar. Somente nesta companhia, há um cadastro formado por 150 cosplayers. O empresário mencionou que no primeiro ano de funcionamento, a Joystick participou de vários eventos. Ele esclareceu que um mesmo profissional pode se fantasiar de vários personagens, o que aumenta o leque de possibilidades de seu empreendimento.

A empresária do segmento fashion pontua que não apenas os profissionais são múltiplos na empresa de Bizzi, mas também o próprio faturamento. Ela enfatiza que em 2018 a agência alcançou R$ 500 mil com os serviços prestados. A expectativa para 2019, conforme o desempenho que se observa somente no primeiro semestre, deverá ser o triplo do obtido no ano anterior. Essa perspectiva de lucratividade é decorrente, dentre outros fatores, da alta demanda por ações dessa modalidade, destaca a empreendedora.

A criação da caracterização completa dos personagens, na grande parte das vezes, não é feita de maneira amadora. É o que ocorre com jovem Gutta Proença. A estudante, que possui 19 anos, cursa graduação em Designer e emprega os conhecimentos que adquire na universidade para conseguir criar peças e acessórios que são empregados em alguns personagens. Ela atua tanto como cosplayer, como cosmaker, uma vez que interage também no momento da criação das fantasias. Gutta explicou que os interessados neste tipo de atividade não devem temer os erros, já que são uma maneira de se aperfeiçoar o trabalho que se realiza.

Em se tratando do universo de cosplay, Donata Meirelles noticia que as agências de talentos também tem obtido lucratividade frente o segmento. A empresa Central Cosplay, por exemplo, é uma das que viram seu casting crescer nos últimos anos. Ao abrirem as portas em 2016, os gestores da companhia, Laís de Oliveira e Gustavo Teixeira, possuíam um determinado número de agenciados. Na atualidade, contudo, esse número é três vezes maior. A empresária esclarece que os valores cobrados dos clientes são variáveis.

Como foi o sétimo baile da AmfAR que reuniu celebridades como Donata Meirelles e Kate Moss

Katie Holmes, Donata Meirelles, Bruna Marquezine, Cauã Reymond, Donata Meirelles, Kate Moss, Adriane Galisteu foram alguns dos presentes no Inspiration Gala da AmfAR. O intuito do baile é arrecadar recursos para custear projetos e pesquisas que buscam a cura da Aids, bem como a integração de soropositivos e a prevenção da doença.

Em sua sétima edição em São Paulo, o baile homenageou o artista plástico Vik Muniz por sua contribuição para a entidade desde sua chegada ao Brasil, em 2010. O artista brasileiro doou diferentes obras de artes leiloadas para angariar fundos durante os bailes realizados no país.

Além de Donata Meirelles, também marcaram presença Fiorella Matheis, Mariana Goldfarb, Isabella Santoni, Luciana Gimenez, Luiza Brunet, Yasmin Brunet, Celina Locks, Lea T., Fernanda Paes Leme, Regina Casé, Carolina Ferraz, Débora Nascimento, Fernanda Motta e outros.

Felipe Diniz e Katie Holmes iniciaram as apresentações da noite e deram boas vindas aos convidados. O CEO da AmfAR, Kevin R. Frost, foi um dos primeiros a falar e enfatizou o projeto “Contagem regressiva para a cura da AIDS”, que em menos de três anos, angariou e destinou mais de 40 milhões de dólares em recursos para cerca de 150 cientistas trabalharem em pesquisas para o tratamento da Aids. Ao todo 55 instituições em 10 países diferentes foram beneficiadas.

Pouco depois, Regina Casé entregou o prêmio “Award of Inspiration” ao homenageado da noite, Vik Muniz. Suas obras de arte foram responsáveis por angariar cerca de 400 mil dólares para a entidade. Na quarta edição do baile, por exemplo, um dos quadros foi arrematado por 120 mil dólares pela apresentadora Sabrina Sato.

Duas apresentações musicais marcaram a noite. Lea T chamou para o palco Preta Gil, que cantou Filho do Arco-Íris, composição de Nizan Guanaes, publicitário e marido de Donata Meirelles. A renda dos direitos da música será totalmente revertida para a AmfAR.

A noite também teve o show de Anitta. A cantora, que já foi indicada ao Grammy chamou todos para dançar com seus principais hits.

O leilão

O leiloeiro da noite foi Harry Winston. O ator norte-americano apresentou obras de arte, objetos e experiências exclusivas, entre elas:

Um retrato produzido por Mert & Marcus com Kim Kardashian. A produção será em um hotel de luxo em Los Angeles. Sabrina Sato obteve a experiência pela quantia de 70 mil dólares;

Um quadro de autoria de Vik Muniz, adquirido pelo ex-jogador de futebol Ronaldo Fenômeno por 135 mil dólares;

Uma viagem para a Riviera Francesa, estadia em hotel cinco estrelas e ingressos para o Festival Cannes de cinema. O pacote inclui também um par de ingressos para grande prêmio de Fórmula 1 no principado de Mônaco, para mais uma festa da amfAR e jantares exclusivos.

Quadro pintado por Otavio e Gustavo Pandolfo, arrematado pelo lance de 60 mil dólares;

Vista ao castelo Buckingham na Inglaterra. A experiência inclui a possibilidade de estar ao lado da família real inglesa durante o evento da procissão anual. O lance vencedor foi de 50 mil dólares;

O evento, produzido pela Josh Wood/Josh Wood Productions, arrecadou mais de 1,3 milhões de dólares, destinados às pesquisas e programas apoiados pela entidade, um deles a Associação Viva Cazuza.

A A AmfAR,

A Fundação para a Pesquisa da AIDS é uma entidade filantrópica (sem fins lucrativos) atuante no apoio à pesquisas sobre a cura e prevenção do HIV. Também apoia projetos relacionados ao tratamento, políticas públicas e integração de soropositivos.

Fundada em 1985 na cidade norte-americana de Nova Iorque, pela dra Mathilde Krim, o dr. Joseph Sonnabend e o ativista Michael Callen. A entidade iniciou suas atividades inicialmente em 1983, como a antiga AMF – Médica da AIDS (AMF), criada por Mathilde. O intuito era reduzir o preconceito e demais estigmas sobre a doença.

O nome foi alterado após a fusão entre a AMF e National AIDS Research Foundation. Do resultado, formou-se a AmFAR, que deu prioridade à pesquisa e as políticas para combate e tratamento do Aids. Na época, o principal foco era o desenvolvimento de medicamentos para amenizar os efeitos do HIV.

A AmfAR foi uma das primeiras entidades a incorporar os aspectos sociais e epidemiológicos do HIV. Atualmente são três sedes, uma em Nova Iorque, outra em Washington e a terceira em Bangkok, na Tailândia. Sua principal frente está no estímulo da pesquisa e desenvolvimento por meio de bolsas para organizações e institutos. Ao todo já foram investidos mais de 400 milhões de dólares em pesquisas em todo o mundo.

A entidade ajudou em descobertas históricas em ensaios clínicos na sociedade, em especial na década de 80. Seu posicionamento foi fundamental no processo de aprovação de coquetéis, na educação pública e na pesquisa.

A entidade encabeçou inúmeras campanhas internacionais de estímulo à pesquisa relacionadas ao HIV/ AIDS, visando ampliar o diálogo e reduzir os estigmas em torno da doença.

As maiores novidades da 47ª edição da SPFW, de acordo com Donata Meirelles

No final do mês de abril de 2019, mais uma edição da São Paulo Fashion Week, a N47, foi concluída após as mais de 30 grifes que formaram o line-up do evento terem encerrado a sua participação na principal semana de moda do país.

Entre os inúmeros trends que se destacaram nos desfiles, nove merecem uma atenção especial, noticia Donata Meirelles. Além disso, é importante ressaltar que a moda brasileira provou novamente a sua independência do mercado estrangeiro, valorizando tendências próprias em contrapartida aos trends que foram destaque nas semanas de moda de outros países.

  1. Regionalismos artesanais

As edições da São Paulo Fashion Week, quando comparadas aos outros grandes eventos de moda brasileiros, sempre teve a característica de se manter mais afastada dos regionalismos do país, mas nessa última edição, uma das grandes tendências foram as peças artesanais e com detalhes feitos à mão. Peças de crochê, macramê e tricô evoluíram para além da moda praia, onde já fazem sucesso há alguns anos, e conquistaram também a moda contemporânea, em itens como vestidos, saias e blusas, além de acessórios como bolsas e bijuterias. Esse trend surgiu como uma forma de ressaltar a brasilidade e trazer elementos do estilo local para a coleção de primavera-verão.

  1. Explosão de cores

Outro elemento bastante característico da moda brasileira e que apareceu com tudo nos desfiles da principal semana de moda do Hemisfério Norte foram as estampas coloridas e vibrantes. Normalmente, as passarelas da SPFW são mais conhecidas por sua sobriedade, até mesmo nas coleções de verão, que costumam apresentar uma cartela de cores mais neutra. Porém, nessa 47ª edição os estilistas resolveram se reinventar e optar por criações repletas de cores, além de incluírem componentes tropicais, étnicos e artísticos.

  1. Animal print

Talvez a única tendência que também foi vista nas semanas de moda do exterior, a estampa animal print demonstrou novamente que possui uma força atemporal. Esse trend, que imita a pele de vários animais, apareceu na São Paulo Fashion Week especialmente no formato de peles de cobras e leopardos. Mesmo sendo mais comum no outono-inverno, os estilistas conseguiram combiná-la de forma orgânica à coleção de verão, reporta Donata Meirelles, utilizando esse elemento com peças vibrantes e trazendo um toque mais moderno para as produções apresentadas.

  1. Looks monocromáticos

Apesar das estampas e de cores vibrantes terem sido amplamente utilizadas pelas grifes que desfilaram na N47, uma parte dos estilistas decidiu explorar os tons mais neutros e sóbrios nas passarelas da SPFW, o que já é uma tradição do evento. Desse modo, as produções monocromáticas surgiram em looks cheios de estilo e elegância, valorizando uma silhuetas menos marcada, com peças mais largas. Além disso, a tendência do monocromático foi abordada em três cores principais, vermelho, branco e preto.

  1. Contraste sensorial

O contraste entre várias cores diferentes não foi a única tendência envolvendo cores vista durante a maior semana de moda do país. Além disso, a mescla de texturas também esteve muito presente em alguns desfiles, especialmente de grifes mais conhecidas por seguir uma linha conceitual e dramática, como João Pimenta, Lino Villaventura e MIPINTA. Por essa razão, peças lisas e com tecidos cintilantes forma combinadas com itens de efeito jacquard, rendas e, novamente, o matelassê, criando um efeito diferenciado e ainda mais estiloso para as peças da coleção nacional de primavera-verão.

  1. Pescoço coberto

Quando se fala em tendências das passarelas, o mais comum é comentar sobre modelos de peças específicas, tecidos, o caimento das roupas ou as cores que estão mais em alta. Contudo, de forma curiosa, um dos principais trends da N47 foi manter o pescoço coberto através das blusas e vestidos de gola alta. Revisitada com frequência no street style, a característica inundou a maioria dos trabalhos exibidos na semana passada.

  1. Destaque para as extremidades

Com o intuito de evidenciar as extremidades do corpo, a São Paulo Fashion Week resgatou a moda dos ombros marcados, uma das maiores tendências da década de 1980. Além de apresentar inúmeras produções com ombreiras, alguns outros recursos também foram utilizados para destacar as extremidades do tronco, como por exemplo, peças com drapeados, babados e ainda camadas de renda colocadas de maneira estratégica para criar a ilusão de volume. Esse trend foi capaz de trazer um toque mais conceitual e delicado para a coleção, informa Donata Meirelles.

  1. Decote em V profundo

Nos desfiles que aconteceram recentemente em Milão, o destaque foram para as golas com laços, mas como o clima do verão no Brasil exige mais conforto e exuberância, a tendência por aqui demonstrou ser o completo oposto, com decotes bem cortados, em formato de V, valorizando ao máximo a silhueta. Sendo assim, a próxima temporada de primavera-verão será protagonizada por muitos vestidos, blusas e camisetas com esse formato. Nos desfiles, o trend foi combinado com peças de baixo menos justas ao corpo, criando um contraste interessante entre o sensual e o casual.

  1. Franjas com movimento

Em paralelo ao uso cada vez mais intenso do macramê, os acabamentos feitos com franjas também apareceram de forma recorrente nos desfiles apresentados na SPFW, trazendo um movimento interessante para as peças, reporta Donata Meirelles. Seja em camadas ou em formatos mais alongados, essas tiras de tecido foram utilizadas em diferentes peças, como blusas, vestidos, conjuntos de calça e blazer, e até mesmo em chapéus, conferindo um toque “boho chic” aos itens, uma tendência que tem se mantido em alta nos últimos anos.

Grão de poeira estelar encontrado por cientistas pode explicar origem da vida

Cientistas encontraram uma amostra minúscula de grão de poeira estelar que foi lançado ao espaço por causa de uma explosão que ocorreu antes mesmo do Sistema Solar se formar. A amostra foi encontrada pelos cientistas através de um meteorito rochoso que caiu na Antártida.

Pequena de tamanho microscópico, a amostra é uma das maiores descobertas, pois ela pode explicar diversas questões em aberto sobre a morte de estrelas e como essas explosões dispersam e semeiam diversas matérias-primas pelo universo podendo contribuir para a formação de planetas. Os cientistas esperam descobrir por meio desta amostra moléculas que são precursoras a vida.

De acordo com os pesquisadores, os grãos de poeira de explosões estelares raramente sobrevivem ao caos, como ocorreu na criação do Sistema Solar. É por isso que a amostra encontrada pode dar várias pistas importantes sobre como o mundo e tudo que nos rodeia foi criado.

O pesquisador Pierre Haenecour, que é um dos principais autores do estudo realizado na Universidade do Arizona, localizada nos Estados Unidos, disse sobre a nova descoberta: “Por ser uma poeira estelar de verdade, esses pequenos grãos pré-solares poderão nos dar uma ideia mais aproximada da origem do sistema solar e todo o processo de sua formação”. Haenecour ainda afirmou sobre a amostra: “Os grãos de poeira estelar ainda nos permite obter uma imagem instantânea de como eram as condições nesta estrela antes mesmo da explosão”.

A amostra encontrada na Antártida foi chamada de LAP 149. Inicialmente, o meteorito encontrado foi analisado no Laboratório Lunar e Planetário que corresponde a Universidade do Arizona. Com equipamentos sensíveis e técnologia avançada, os pesquisadores puderam reconhecer vários átomos de forma individual, até encontrarem o grão de poeira estelar LAP 149.

Segundo as notícias informadas pelos cientistas, o LAP 149 é um tipo de material composto por silicato e grafite. Esse material é o único já encontrado pelos cientistas que pode ser rastreado a uma explosão estelar específica chamada de “nova“. As estimativas dos cientistas são de que essa pequena amostra tenha sobrevivido à toda jornada interestelar até chegar ao Sistema Solar aproximadamente há 4,5 bilhões de anos.

Estudo revela que redes sociais não afetam bem-estar dos adolescentes

Um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Oxford, localizada no Reino Unido, revelou que os adolescentes não sentem efeitos satisfatórios apenas por utilizarem as redes sociais. Contrariando o que muitas pessoas pensam a respeito dos impactos das redes sociais na vida dos adolescentes, o estudo mostrou que há vários outros fatores que contribuem de forma mais significativa para a satisfação deles, tais como família, vida escolar e amigos, sendo que todos esses fatores contribuem para o bem-estar dos adolescentes.

De acordo com o estudo que contou com um total de 12 mil participantes, os efeitos gerados pelas redes sociais na satisfação dos adolescentes avaliados são limitados. Os dados fazem parte de um estudo bastante complexo que foi publicado pela revista PNAS.

Segundo as notícias divulgadas sobre o estudo, os resultados são muito mais profundos do que várias pesquisas realizadas anteriormente. Isso porque a pesquisa visa responder se o uso das redes sociais contribui para uma maior satisfação em relação a vida. Sendo assim, os dados obtidos com os adolescentes foram comparados relacionando a média de uso das redes sociais.

Os pesquisadores ainda revelaram que os estudos realizados anteriormente mostram um parâmetro diferente do que foi levantado pelo mais recente estudo. Em pesquisas anteriores, há uma relação equivocada do uso da tecnologia com a saúde mental dos adolescentes. Isso porque a maioria dos estudos que foram feitos apenas mostram evidências limitadas como base para relacionar a tecnologia e seus efeitos na vida dos jovens.

Já na opinião dos pesquisadores do Reino Unido, os jovens têm o impacto de apenas 1% em seu bem-estar ao utilizar as redes sociais. Além disso, o diretor de pesquisa Andrew Przybylski informou que 99,75% de toda a satisfação de vida das pessoas não está relacionada com as redes sociais.

Para o estudo, os pesquisadores solicitaram que os 12 mil adolescentes entrevistados respondessem a um questionário sobre o uso das redes sociais avaliando os efeitos desse uso em relação a satisfação pessoal. Entre os gêneros, os pesquisadores perceberam que as meninas tinham um impacto pouco maior que os meninos ao utilizar as redes sociais, no entanto, ambos os dados eram pequenos demais para serem considerados efeitos satisfatórios pelo uso das redes sociais.

Divisão de férias escolares no estado de São Paulo divide opiniões

A divisão de férias escolares anunciada pelo governo do Estado de São Paulo dividiu as opiniões de educadores e de especialistas em educação. O anúncio realizado pelo governador João Doria no dia 26 de abril de 2019, especifica que as férias escolares poderão ser divididas em quatro período diferentes a partir do ano de 2020. Embora a divisão pareça impactar na educação dos estudantes, o governador garantiu que a mudança tem como objetivo melhorar o aprendizado, sem que o descanso interfira nos 200 dias letivos que devem ser cumpridos por ano.

Mesmo com o argumento de que a mudança melhoraria o aprendizado, diversos professores questionaram se essa mudança realmente é necessária, assim como se há uma eficiência comprovada sobre o desempenho escolar dos estudantes. Ainda neste ano, as escolas estaduais de São Paulo funcionam com os dois períodos de férias, como ocorre em outras regiões do país, sendo 15 dias de descanso em dezembro e os dois meses completos de descanso em janeiro e julho. Esses períodos estão relacionados apenas às férias, sem considerar os feriados e recessos que acontecem ao longo do ano.

A mudança proposta por João Doria quer encurtar as férias de dezembro para a véspera do Natal, enquanto que em julho poderá ser retirado outros 15 dias de férias. Esses dias retirados deverão ser distribuídos em abril, próximo ao feriado de Tiradentes, e em outubro, próximo ao feriado de Nossa Senhora Aparecida (Dia das Crianças).

De acordo com as notícias informadas pela Secretaria da Educação, o objetivo principal desta mudança é melhorar o desempenho escolar dos estudantes. No entanto, essa justificativa foi rebatida por docentes que consideram que os meses de férias inteiros não prejudicam o aprendizado dos estudantes.

A pedagoga e também docente na Universidade de São Paulo, Silvia Colello, afirmou sobre a mudança proposta por João Doria: “Mudar o período de férias dos estudantes não deveria ser a pauta atual da pedagogia. Acredito que essa mudança não impactará nem de forma benéfica ou maléfica para o ensino, pois o aprendizado depende unicamente da qualidade do ensino nas escolas”.

O governo de São Paulo também utilizou como argumento para a modificação do período de férias os exemplos dados por outros países, tais como Estados Unidos, Espanha, Inglaterra, Nova Zelândia, Canadá, entre outros. Nestes países, as férias são divididas em quatro ou mais vezes. No entanto, os docentes brasileiros acreditam que essa divisão não deve ser empregada no Brasil, pois nestas regiões há uma real necessidade por conta das estações do ano, enquanto que no Brasil essa necessidade não existe.

Conceitos sobre sustentabilidade são confusos para consumidores, diz estudo

Um novo estudo realizado por pesquisadores da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) revelou que conceitos sobre sustentabilidade é confundido pela maioria dos consumidores, sendo que a maioria deles não priorizam os benefícios que podem ser proporcionamos ao meio ambiente.

De acordo com as notícias divulgadas pela universidade, a ideia principal do estudo era identificar o comportamento dos consumidores em relação aos conceitos sustentáveis. A grande surpresa nos dados foi que há uma confusão em torno do conceito sustentável. Além disso, os dados demonstraram que o nível de informação assim como o nível de escolaridade interfere na forma como as pessoas pensam sobre sustentabilidade.

Segundo a nutricionista Bruna Barone, que também participou do estudo na Unicamp, é preciso investimentos em políticas públicas e educação para que os consumidores entendam um pouco mais sobre o tema, tornando possível uma alimentação mais saudável no país juntamente com ações mais sustentáveis.

“Nosso estudo tem como intuito contribuir para que novas políticas públicas tratem deste tema e promovam a alimentação saudável e equilibrada em todo o país. Isso significa realizar mais campanhas e informar os consumidores sobre o que é sustentável e saudável. Quando a população está desinformada é difícil exigir que ela seja consciente”, explica Bruna Barone.

Os pesquisadores da Unicamp informaram que o estudo contou com a participação de 590 consumidores entre as regiões de Campinas, São Paulo e Jundiaí, todas presentes no estado de São Paulo. Além disso, o comportamento e as crenças desses consumidores também foram considerados para o estudo.

O estudo da Unicamp foi orientado por Jorge Herman Behrens, que é orientador e professor no FEA (Departamento de Alimentos e Nutrição da Faculdade de Engenharia de Alimentos), e faz parte da tese de doutorado da nutricionista Bruna Barone. De acordo com Bruna, esta é a primeira pesquisa relacionada as representações mentais sobre sustentabilidade feita com consumidores brasileiros. Ou seja, esses são os primeiros dados sobre o que motiva os consumidores brasileiros em suas escolhas alimentares.

“Antes deste estudo, eu realizei algumas pesquisas na literatura brasileira para descobrir o que outras pesquisas falavam a respeito da percepção de sustentabilidade no Brasil. Logo de início, descobri que havia poucas informações sobre esse assunto, sendo que os únicos dados que existiam foram obtidos por meio de pesquisas quantitativas utilizando categorias fechadas, como recursos naturais e meio ambiente. Isso mostra que os dados anteriores podem apresentar apenas conceitos que os consumidores se obrigam a dizer, mas não definem o que realmente eles pensam sobre o tema”, informou Bruna Barone.